Pesquise

31.10.08

Malditas escadas! Estranhezas da vida diária.

Odeio, mas odeio tão fervorosamente, que, por vezes, penso talvez seja apenas cisma, ou uma pequena birra. Impaciência, quem sabe.

Ou será que tenho problemas de ansiedade? Não, isso estaria relacionado ao bruxismo e a maldita dor no maxilar (lar máximo da dor! – trocadilho irresistível! Ou não...)

Mas, enfim, o foco do aludido ódio duvidoso são escadarias. Não elas, em si, mas subir e descer escadas. Todas elas, mas, em decorrência do maior uso, das escadas entre andares, escadas de acesso (local de trabalho; para meu apartamento, etc.).

Sim, têm escadas que não são escadarias, tais como as que se utilizam para subir em laranjeiras, ou da vendedora em lojas, estas, que, diga-se de passagem, para mim, lembram escadas de eletricistas. E da minha tia subir para pegar as coisas nas prateleiras da despensa da casa dela e do meu padrinho.

Isso não vem ao caso, nem é o caso de um tratado histórico-filosófico sobre escadas e escadarias.

O que pretendo mesmo falar é que não consigo subir ou descer escadas (as de prédios e praças, por exemplo, não as de laranjeiras, vendedoras, eletricistas e da minha tia. Só para esclarecer. Ou nebular de vez!!) ... como ia dizendo, apenas queria contar para os milhões, bilhões, triziguilhões, todoszilhões de leitores, que não consigo, ao me deparar com uma escadaria (para não restar dúvidas acerca da classe de escadas a que me refiro, que não são as de despensa, laranjeiras...) subir – nem descer – sem que eu o faça correndo.

Isso mesmo: é inimaginável subir ou descer escadarias sem, no mínimo pular alguns degraus ou acelerar o passo, dando uma “corridinha”. Só de pensar em fazer isso andando dá pavor!

Bem, compartilhada essa pequena mania, despeço-me, por ora (ou não, afinal nunca se sabe, né?!) pois estou ansioso para finalizar esse texto, o que me fez lembrar do meu possível transtorno de ansiedade, o que, por sua vez, me fez sentir dor no maxilar, em decorrência do bruxismo, que é conseqüência da ansiedade, o que, por sua vez...
Malditas escadas!
_____
Por Marco Vicente Dotto Köhler, outubro de 2008.

8 comentários:

Flavia Melissa disse...

ah, as escadas!

irresistível pular dois degraus, se for descendo dar aquela corridinha (que é sempre acompanhada por uma dancinha de braços).

ultimamente ando subindo/descendo na ponta dos pés - afinal, o verão tá aí ;)

beijos

JKishin disse...

É um bom exercício zen-holístico-meditabundo-matemático-físico. Enfim.
Big beijo meuzístico!
: - )))

Zé Gota disse...

kkkkkkkkkk
seqüela...

Zé Gota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

cade os comentarios sobre a festa?? Marco tander!!! ITALO

Elton555 disse...

Companheiro de bruxismo, há coisas piores que escada!

Caco disse...

Também sou bruxista, ansioso e meio doido, mas esta das escadas é um barato. Sinto muito por você, porque deve ser barra se deparar com tantas escadas ou ter que ficar sempre procurando as longas rampas para os 'disabled'. Abraçodaí.

N. Ferreira disse...

Ai, a ansiedade...
A ansiedade me faz ADORAR um bom elevador.
Rampas (mesmo que inclinadérrimas) tb me agradam bastante.
Beijo-beijo

PS: O maxi-lar foi incrível. Eu tb tenho bruxismo. Posso copiar a metáfora e dizer por aí?